Um bom repertório de ferramentas é a chave! 


A doença da adicção tem como um dos principal desafios para o paciente a manutenção do processo de recuperação a médio-longo prazo, que estatisticamente mostra-se mais complicado do que a interrupçao temporária de consumo de drogas normalmente motivada por algum evento agudo. Manter-se limpo é um grande desafio. Embora recaídas podem ser consideradas “normais” no sentido estatísticamente provável, de nenhuma maneira fazer parte do processo de recuperação, mas sim da doença da adicção. 

A TBM Psychology acredita que a avaliação neuropsicologica com ênfase em adicção tem como principal objetivo agregar uma importante ferramenta para o adicto em recuperação: autoconhecimento sobre a relação entre o funcionamento orgânico do sistema nervoso central e o comportamento do adicto em diversas situações sociais e cotidianas. Essa ferramenta bem aplicada pode ajudar o paciente a perceber movimentos de auto sabotagem e gatilhos de pensamentos de frustração e inferioridade obsessivos a fim de motivar autonomia e escolha consciente baseado em ciência e não em “achismos da doença”. 

Como filosofou a.k.a uma pesquisadora bióloga marinha que se tornou pesquisadora do comportamento humano e psicóloga: 

“O perigo que ronda o homem da caverna ao se deparar com um tigre dente-de-sabre é o mesmo tendo ele
um graveto na mão ou uma tocha de 🔥, mas a ferramenta do fogo certamente vai lhe dar mais chance de sobrevivência”